10º REDESCOBRINDO A ALOE VERA

A babosa planta muito comum e popular tem muitos benefícios para diversos tipos de doenças. Existem algumas espécies da babosa, por exemplo, a aloe vera, aloe crispta, aloe aborensis. Existem mais de sete tipos de babosas, mas a única que pode ser ingerida pelo ser humano com segurança é a aloe vera. As outras devem ser utilizadas somente pra uso externo (lesões na pele e etc).

Aloe Vera L. (BABOSA) é uma planta exótica de folhas compridas e espessas contendo em seu interior grande quantidade material gelatinoso (gel) e flores amarelas, que é usada em fins terapêuticos há mais de 5.500 anos, incluindo citações bíblicas. Sua origem é o Nordeste da África a região do Mediterrâneo. Nas Américas foi introduzida por Cristovão Colombo; e no Brasil sua chegada ocorreu na mesma época, e a sua adaptação foi tão natural que no Nordeste seu crescimento ocorreu espontaneamente.

A IMPORTÂNCIA DA ALOE VERA L. PARA O SER HUMANO

Nos últimos 60 anos os centros de pesquisas e universidades de vários países, concentram seus estudos em desvendar os segredos da Aloe Vera, identificando assim em seu gel, mais de 200 componentes, dentre os quais: cálcio, magnésio, sódio, potássio, selênio e zinco; as vitaminas A, B1, B2, B3, B5, B6 e C; mono e polissacarídeos incluindo a acemanana que é imunoestimulante, segundo Dr. Carol Miller Kent. Possui 18 dos 21 aminoácidos necessários ao ser humano, incluindo as oito essenciais, e mais um complexo de enzimas básicas ao nosso metabolismo. Tais estudos ampliaram largamente os conhecimentos científicos a respeito dos efeitos benéficos da babosa para a saúde do homem.

EFEITOS BENÉFICOS DO USO INTERNO DA ALOE VERA

Quando usamos apenas o gel (parte gelatinosa) das folhas, eliminando-se a casca e a aloina (componente tóxico da casca), a Aloe Vera L. pode ser utilizada na forma de bebidas e extratos secos (liofilizados ou atomizado), a exemplo do que fazem os americanos, europeus, japoneses, além de outros povos aonde seu uso interno vem sendo largamente utilizado para uso no tratamento de artrite, bursite, gota, redução do colesterol e da pressão sanguínea, para regular os batimentos cardíacos, nas disfunção hepáticas, calcificação dos ossos (osteoporose e calcificação de fraturas), controle de acidez gastrointestinal, tratamento de gastrites, úlceras pépticas e duodenais, congestão intestinal, colite, cistite, fístulas, quistos, flatulência, infecção vaginal e do trato urinário, amenorréia, endometriose, prostatite, fibroma, glaucoma, leucemia, lúpus, psoríase, reumatismo, gripes e resfriados, bronquite, sinusite, herpes comum vaginal e de zoster e diabetes. Porém, seu principal efeito é a desintoxicação do organismo e a imunoestimulação, promovido pelo seu componente ACEMANANANA, cuja sua função já foi comprovada em portadores de HIV, nos EUA pela (Food and Drug Administracion).

Sua ação coadjuvante nos tratamentos oncológicos tem se revelado de extraordinária eficácia, principalmente na redução dos efeitos colaterais da quimioterapia e radioterapia. Os cientistas que estudam Aloe Vera, concluíram que a razão pela qual funciona tão eficazmente com grande alcance de seus poderes curativos, é a mistura específica de seus componentes, atuando sinergicamente, e não seus componentes isoladamente.

Com relação ao uso externo da babosa sua principal indicação é cicatrização dos tecidos, é muito eficiente para queimaduras solares e de cozinha, herpes labial, qualquer tipo de lesão de pele. E para os cabelos é excelente para dar brilho, vitalidade, ajuda contra queda, e pode ser utilizada em pêlos de cachorro.
Também tem uma ação específica da Aloe Vera, ela é carreadora por natureza, ou seja, todo componente adicionado ao suco de babosa é carreado para dentro da célula e absorvido de uma maneira muito mais rápida e eficiente. Por isso muitas empresas estão lançando cosméticos a base de aloe vera, protetores labiais, shampos, creme dental, desodorantes e muitos outros produtos.

Leave a Reply